O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias

anoemquemeuspaissairamdeferias

O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias

Lembra do zunzunzum em torno do Tropa de Elite? Foi considerado pela opinião popular o melhor filme brasileiro em muito tempo, né? Mas, na hora de mandar um filme pra Hollywood pra tentar uma indicação pro Oscar, O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias foi o escolhido para representar o Brasil. “Alguma coisa de bom esse filme deve ter…”, foi o que pensei.

E, realmente, O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias é muito bom! Completamente diferente de Tropa de Elite, então não dá pra comparar. Mas claro que é bom! Pena que, sem o zunzunzum, o filme passou batido…

Estamos em 1970. A euforia pela Copa do Mundo de 70 contrasta com o auge da ditadura militar. Mauro, um garoto mineiro de 12 anos, não sabe que seus pais fazem parte da resistência política, e é levado para a casa do avô, num bairro judeu em São Paulo. Para ele, os pais “saíram de férias”, e voltam antes da Copa.

Mauro é deixado na porta do prédio do avô, e seus pais rapidamente vão embora – sem saber que o avô tinha acabado de morrer!

E assim, Mauro se vê sozinho. Shlomo, o vizinho de seu falecido avô, meio que o adota, mas o relacionamento entre os dois não é tranquilo.

Aos poucos, Mauro vai se acostumando com a situação. No início, se recusa a sair do apartamento, com medo de perder um possível telefonema dos pais, mas aos poucos vai conhecendo melhor os novos vizinhos e o novo bairro.

O diretor Cao Hamburguer monta todo o filme em cima de uma metáfora com a posição do goleiro num time de futebol. É um personagem solitário, mas importante. E Mauro se identifica com o goleiro, jogando botão ou futebol “de verdade”.

Vale ressaltar que a reconstituição do momento é perfeita, o que nem sempre acontece em filmes nacionais. E existe pelo menos uma citação cinematográfica interessante: quando a vizinha Hanna leva os garotos pra espiarem as mulheres trocando de roupa, nos lembramos de Era Uma Vez na América, de Sergio Leone.

Belo filme. Merece ser visto!

Anúncios

Marcado:, , ,

Um pensamento sobre “O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias

  1. Simone 25 setembro, 2009 às 3:19 pm Reply

    Eu assisti este filme, e, concerteza vale a pena assisti-lo pelo fato de mostrar o drama que o menino sente com tudo o que aconteceu e também porque mostra como foi aquela época.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: