O Vencedor

O Vencedor

Mais um filme usando boxe como pano de fundo para contar um drama de superação. Parece que o cinema gosta mais de alguns esportes do que de outros…

O Vencedor mostra o início da carreira do boxeador Micky Ward (Mark Wahlberg), que é ao mesmo tempo apoiado e derrubado por sua possessiva mãe e por seu problemático irmão Dicky Eklund (Christian Bale), um ex-boxeador com algum sucesso no passado, mas envolvido com drogas e criminalidade no presente.

A narrativa de O Vencedor é bem convencional, o filme dirigido por David O. Russell em si não tem nada demais. O que chama a atenção aqui é a atuação de Christian Bale, com boas chances de levar o Oscar de melhor ator coadjuvante amanhã.

Bale está impressionante. Magérrimo, ele convence como o boxeador com algum sucesso no currículo, mas que perdeu a guerra para o crack. Nem parece o fraco protagonista de Exterminador do Futuro : A Salvação, onde ele é “engolido” pelos coadjuvantes…

É curioso notar que Bale concorre a coadjuvante, porque o protagonista de O Vencedor é Mark Wahlberg. Wahlberg é aquilo que a gente já conhece: um ator limitado, mas que funciona bem quando o roteiro ajuda – como aconteceu em Boogie Nights e Rock Star.

Dicky, personagem de Bale, é mais interessante que Micky, personagem de Wahlberg. Mas achei acertada a decisão do roteiro de focar o filme no irmão mais novo. Tenho minhas dúvidas se a história funcionaria tão bem se Dicky fosse o protagonista, ele precisava estar sob a sombra do próprio passado e da ascenção do irmão. Ele está tão mal que acha que a HBO está fazendo um documentário sobre o seu passado glorioso, não repara que o foco real do documentário é a sua atual decadência e seu envolvimento com as drogas.

O bom elenco ainda traz dois destaques femininos: Amy Adams e Melissa Leo. Mas traz um defeito comum em Hollywood: atores com idades incompatíveis com os seus personagens. Se entendi bem, Dicky é 9 anos mais velho que Micky. Ora, por que usar um ator de 39 anos pra fazer o caçula, e um de 36 para ser o seu irmão 9 anos mais velho? E Melissa Leo – a mãe – é apenas 11 anos mais velha que Wahlberg. Na verdade, isso nem atrapalha a fluência do filme, mas acho que seria mais interessante usar um ator mais novo para interpretar Micky. Porque, na tela, Dicky não parece ser mais velho que Micky…

Voltando ao filme… Como falei, a estrutura é bem convencional. Na maior parte do filme, a câmera segue o estilo de documentários. E, sobre as cenas de luta, não espere um novo Touro Indomável. O Vencedor não mostra nada demais, nada de novidades estilísticas.

O resultado final é satisfatório: um filme simples e eficiente. E a atuação de Christian Bale vale o ingresso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: