Assalto em Dose Dupla

Crítica – Assalto em Dose Dupla

Um banco é surpreendido por dois assaltos ao mesmo tempo – um por uma equipe super-profissional, outro por dois caipiras bem longe do profissionalismo. No meio da confusão, um cliente do banco tenta entender o que está por trás dos assaltos simultâneos.

A princípio achei que seria mais um filme com cara de sessão da tarde. Mas logo a trama mostra que Assalto em Dose Dupla pretendia algo mais ambicioso: ser uma comédia de mistério, algo no estilo do divertido Os Sete Suspeitos.

Dirigido por Rob Minkoff (um dos diretores de O Rei Leão), Assalto em Dose Dupla tem roteiro de Jon Lucas e Scott Moore, os responsáveis pelos dois Se Beber Não Case – desta vez menos politicamente incorretos, mas com a agilidade de sempre. A boa trilha sonora com um pé no jazz ajuda nisso.

O filme é curtinho (menos de uma hora e meia), mas tem tantas reviravoltas no roteiro que, se o espectador piscar o olho pode ficar perdido. Existe um nome para este tipo de trama: é o “whodunit” – “quemfezisso” numa tradução literal. É o que acontece, por exemplo, na série Pânico: ao longo do filme, temos várias pistas sobre quem é o assassino, e quase todos os personagens são suspeitos. Isso rola aqui: existe um responsável por tudo o que está acontecendo no banco, e este mistério é levado até o fim.

O problema é que a trama é tão rocambolesca, e o personagem de Patrick Dempsey é tão “sherlockiano” que a história começa a ficar absurda demais e isso acaba enfraquecendo o filme. Quanto mais confusa a trama, mais “espertinho” Dempsey fica – e fica cada vez mais difícil levar o filme a sério.

O que salva são os personagens. Dempsey está bem, com o seu obsessivo e alucinado protagonista. O mesmo podemos falar sobre o pouco conhecido Matt Ryan e seu vilão de sotaque britânico. Mas o melhor do filme é, sem dúvida, o assaltante caipira de Tim Blake Nelson, que parece ter saído direto de um filme dos irmãos Coen (ele fez um papel parecido em Aí Meu Irmão, Cadê Você). Arrisco a dizer que ele sozinho vale o ingresso!

Mesmo acertando na trave às vezes, Assalto em Dose Dupla pode ser uma boa opção se você se deixar levar, sem parar pra pensar em detalhes.

.

.

Se você gostou de Assalto em Dose Dupla, o Blog do Heu recomenda:
Os Sete Suspeitos
Red
Se Beber Não Case
Se Beber Não Case 2

Anúncios

Um pensamento sobre “Assalto em Dose Dupla

  1. À Beira do Abismo « Blog do Heu 27 abril, 2012 às 2:17 pm Reply

    […] você gostou de À Beira do Abismo, o Blog do Heu recomenda: 72 Horas Assalto em Dose Dupla Red Share this:CompartilharFacebookTwitterGostar disso:GostoSeja o primeiro a gostar disso post. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: