Os Descendentes

Crítica – Os Descendentes

O “queridinho indie do Oscar 2012″…

Matt King, um dos herdeiros de uma grande área no Havaí, está no meio de um turbilhão. Como sua esposa sofreu um acidente de barco e está em coma, ele precisa se reaproximar das filhas, na mesma época que seus primos querem vender uma grande propriedade da família, num negócio que envolve milhões de dólares. No meio de tudo isso, Matt descobre que sua esposa tinha um amante.

Os Descendentes (The Descendants, no original) não é um filme ruim, mas, na minha humilde opinião, não merece esse hype todo. É apenas mais um filme comum, bem feito, como muitos por aí. Por que está badalado e concorrendo ao Oscar de melhor filme? Mistérios de Hollywoood…

Mas não entendam errado, Os Descendentes não é ruim. A história é atraente, ficamos grudados nos passos de Matt King e seus dramas pessoais. O problema é quando um bom filme é vendido como um dos melhores do ano. Aí a expectativa cresce, e a gente se pergunta por que isso tudo.

O filme foi dirigido por Alexander Payne, ganhador do Oscar de melhor roteiro e indicado para melhor diretor por Sideways – Entre Umas e Outras em 2004. Não vi Sideways, mas pelo que li, Os Descendentes segue a mesma linha – e agora ele concorre a três estatuetas, filme, diretor e roteiro. Ou Payne é bom e heu não reparei; ou ele tem muitos amigos influentes…😉 (E isso em contar que Os Descendentes já ganhou Globo de Ouro de melhor filme drama e melhor ator!)

George Clooney está cotado para vencer o Oscar de melhor ator hoje por este filme. Ainda falando sobre o hype em torno do filme, Clooney não está mal, mas… Ele está com a mesma cara de George Clooney de sempre! Acho que um prêmio de melhor ator deveria ir para um ator que fizesse algo diferente do usual – e olha que Clooney já tem um Oscar em casa, de ator coadjuvante, por Syriana… Lembro do Tom Hanks, quando ganhou seus dois Oscars, por Filadelfia e Forrest Gump, dois trabalhos realmente impressionantes. Ainda no elenco, Shailene Woodley, Amara Miller, Nick Krause, Beau Bridges, Robert Forster, Matthew Lillard e Judy Greer.

Um filme agradável. Mas supervalorizado.

.

.

Se você gostou de Os Descendentes, o Blog do Heu recomenda:
O Desinformante
Queime Depois de Ler
Amor Sem Escalas

Marcado:, , , , , , , , , ,

2 pensamentos sobre “Os Descendentes

  1. Mariah Vask 26 fevereiro, 2012 às 1:02 pm Reply

    Concordei com a sua crítica! Filme muito bom, mas nem é essa coca-cola toda. Mas foi o primeiro filme em que o George Clooney fez algum sentido pra mim. Sai uma pouco daquela áurea agente secreto sem sal. Ah! Gostei também do filme ter sido filmado no Havaí! Me identifiquei com a minha casa, o Rio!

  2. Sr. Gabriel 27 fevereiro, 2012 às 7:58 pm Reply

    Heu,

    O Alexander Payne é um grande diretor e um grande roteirista. Eu gosto deste, no entanto, é o filme mais fraco de toda a excelente (mas pequena) filmografia dele. É o mais comercial também.

    Para mim o Payne se encontra naquele hall de diretores que eu gosto e que ainda não cometeram erros.

    Sideways, About Schimidit e os The Descendents seguem a mesma linha: homem de meia-idade, crise existencial, o sentido da vida.

    Eu gosto bastante do roteiro, a forma ácida, o misto de tragédia e comédia, e a forma com que o Payne usa toda o cenário paradisíaco para dar contornos a trama. E detesto profundamente as narrações em off. Um grave erro.

    Vale sempre a pena assistir os seus filmes. Sideways, Citizen Ruth e Confissões de Schimidt são obras-primas. A Eleição é grande também.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: