A Espiã

Crítica – A Espiã

O filme “novo” do Paul Verhoeven!

Na Holanda ocupada por nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, uma cantora judia se une à Resistência, e se infiltra nos quarteis generais alemães, onde vira a amante de um oficial.

As aspas lá em cima são porque na verdade A Espiã (Zwartboek no original, Black Book em inglês) é um filme de 2006, seis anos atrás. Mas é o mais recente filme de Verhoeven – na verdade, por enquanto é o único filme que ele fez depois que largou a fase hollywoodiana de sua carreira. Entre 1985 e 2000, ele dirigiu sete filmes, alguns muito bons (Conquista Sangrenta, O Vingador do Futuro, Robocop), alguns não tão bons mas mesmo assim muito legais (Tropas Estelares, Instinto Selvagem) e alguns não tão bons e não tão legais (Showgirls, O Homem Sem Sombra). Verhoeven estava sumido desde 2000, até que este A Espiã foi lançado. Heu já tinha o blu-ray, mas estava com preguiça de ver…

A Espiã foge um pouco do Verhoeven das décadas de 80 e 90 – é um drama de guerra. Mas a qualidade é bem superior ao seu filme anterior (O Homem Sem Sombra). O tema “Segunda Guerra Mundial” já está bem batido no cinema, mas pelo menos vemos por um ângulo pouco usado: a vida na Holanda ocupada. A trama, cheia de reviravoltas, prende a atenção do início ao fim e não deixa um filme de quase duas horas e meia ficar cansativo.

Pelo que li por aí, a trama de A Espiã começou a ser rascunhada ainda nos anos 70, antes de Verhoeven ir para Hollywood. Ele teria tido a ideia quando fez O Soldado de Laranja, também passado na Holanda ocupada por nazistas. Mas só agora no sec XXI, de volta à Europa, é que ele deu continuidade ao projeto.

A Espiã pode ser diferente da filmografia hollywoodiana do diretor holandês, mas uma marcante característica continua presente. Verhoeven tem um modo peculiar de mostrar sexo e violência em imagens graficamente fortes. Isso está presente em cenas como a morte de Smaal, ou quando Ellis pinta os pelos pubianos (alguém mais se lembrou da cruzada de pernas de Instinto Selvagem?). Verhoeven não decepciona seus fãs!

No elenco, o único nome cohecido é Carice Van Houten, de Operação Valquíria e Os Coletores, e que esteve na última temporada de Game of Thrones. Ainda no elenco, Sebastian Koch, Thom Hoffman e Halina Reijn.

Quando A Espiã foi lançado, pensei “legal, Verhoeven largou voltou à ativa!” Mas já se passaram seis anos, e este ainda é seu único filme desde a virada do milênio. Será que agora ele parou de vez? Sendo que ele já tem quase 74 anos (faz aniversário amanhã!), é capaz de ter se aposentado. Tomara que não!

.

.

Se você gostou de A Espiã, o Blog do Heu recomenda:
Conquista Sangrenta
Bastardos Inglórios
Iron Sky

Marcado:, , , , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: